Псалтирь, псалом

Dai graças ao Senhor; invocai o seu nome; fazei conhecidos os seus feitos entre os povos.

Cantai-lhe, cantai-lhe louvores; falai de todas as suas maravilhas.

Gloriai-vos no seu santo nome; regozije-se o coração daqueles que buscam ao Senhor.

Buscai ao Senhor e a sua força; buscai a sua face continuamente.

Lembrai-vos das maravilhas que ele tem feito, dos seus prodígios e dos juízos da sua boca, vós, descendência de Abraão, seu servo, vós, filhos de Jacó, seus escolhidos.

Ele é o Senhor nosso Deus; os seus juízos estão em toda a terra.

Lembra-se perpetuamente do seu pacto, da palavra que ordenou para mil gerações; do pacto que fez com Abraão, e do seu juramento a Isaque; o qual ele confirmou a Jacó por estatuto, e a Israel por pacto eterno, dizendo: A ti darei a terra de Canaã, como porção da vossa herança.

Quando eles eram ainda poucos em número, de pouca importância, e forasteiros nela, andando de nação em nação, dum reino para outro povo, não permitiu que ninguém os oprimisse, e por amor deles repreendeu reis, dizendo: Não toqueis nos meus ungidos, e não maltrateis os meus profetas.

Chamou a fome sobre a terra; retirou-lhes todo o sustento do pão.

Enviou adiante deles um varão; José foi vendido como escravo; feriram-lhe os pés com grilhões; puseram-no a ferro, até o tempo em que a sua palavra se cumpriu; a palavra do Senhor o provou.

O rei mandou, e fez soltá-lo; o governador dos povos o libertou.

Fê-lo senhor da sua casa, e governador de toda a sua fazenda, para, a seu gosto, dar ordens aos príncipes, e ensinar aos anciãos a sabedoria.

Então Israel entrou no Egito, e Jacó peregrinou na terra de Cão.

E o Senhor multiplicou sobremodo o seu povo, e o fez mais poderoso do que os seus inimigos.

Mudou o coração destes para que odiassem o seu povo, e tratassem astutamente aos seus servos.

Enviou Moisés, seu servo, e Arão, a quem escolhera, os quais executaram entre eles os seus sinais e prodígios na terra de Cão.

Mandou à escuridão que a escurecesse; e foram rebeldes à sua palavra.

Converteu-lhes as águas em sangue, e fez morrer os seus peixes.

A terra deles produziu rãs em abundância, até nas câmaras dos seus reis.

Ele falou, e vieram enxames de moscas em todo o seu têrmo.

Deu-lhes saraiva por chuva, e fogo abrasador na sua terra.

Feriu-lhes também as vinhas e os figueirais, e quebrou as árvores da sua terra.

Ele falou, e vieram gafanhotos, e pulgões em quantidade inumerável, que comeram toda a erva da sua terra, e devoraram o fruto dos seus campos.

Feriu também todos os primogênitos da terra deles, as primícias de toda a sua força.

E fez sair os israelitas com prata e ouro, e entre as suas tribos não havia quem tropeçasse.

O Egito alegrou-se quando eles saíram, porque o temor deles o dominara.

Estendeu uma nuvem para os cobrir, e um fogo para os alumiar de noite.

Eles pediram, e ele fez vir codornizes, e os saciou com pão do céu.

Fendeu a rocha, e dela brotaram águas, que correram pelos lugares áridos como um rio.

Porque se lembrou da sua santa palavra, e de Abraão, seu servo.

Fez sair com alegria o seu povo, e com cânticos de júbilo os seus escolhidos.

Deu-lhes as terras das nações, e eles herdaram o fruto do trabalho dos povos, para que guardassem os seus preceitos, e observassem as suas leis. Louvai ao Senhor